O homem é fruto do meio?

14068234_516975758472764_562322466862418037_n
Evan do Carmo

O homem é fruto do meio, isto segundo O DETERMINISMO FREUDIANO, então ele não tem domínio sobre seu Livre-arbítrio, não consegue vencer as circunstâncias de onde vive. Essa ideia pode ser lógica para o senso comum, pela sua simplicidade cognitiva, ou para os homens comuns. Todavia, creio que reside aqui a mesma ideia das castas indianas, onde o devoto acredita que não deve buscar a superação, mudar o status quo.

Contudo, numa visão mais consciente, e, sobretudo mais de acordo com a nossa capacidade natural de buscar a luz do sol, como se busca o crescimento espiritual, o homem pode sim mudar, por meio da livre escolha, as circunstâncias podem influir na maneira de reagir, mas não determinará o futuro, uma vez que o homem é o único ser na natureza que pode decidir para que rumo caminhar.

É esta condição HUMANA que nos diferencia dos outros animais, somos inteligentes, podemos escolher e até prever as consequências de nossas escolhas. Logo a teoria do respeitável doutor Freud, cai por terra. SE É QUE É DELE MESMO, HÁ QUEM DIGA QUE ESTA MÁXIMA PERTENCE A SARTRE  OU A MARX.

Temos os arquétipos que corroboram com essa tese, o homem não é fruto do meio, senão não teríamos os Cristos, os Mandelas, os Lulas, Obamas e outros mais.

UM POEMA DO MESMO AUTOR

FREUD.

Pobre Freud, em tese, explicou que Deus é criação do homem, pois a miséria cruel do seu destino lhe precipitou em um abismo.


A relação com um pai mortal, muitas vezes conturbada

e ausente inspirou-o a criar um pai supremo, onipresente e eterno, capaz de lhe restituir a glória existencial em outro plano ou sistema mais ideal ou perfeito.

Pobre Freud, nada sabia sobre a expressão:

 “Tu és pó e ao pó voltarás.”


Toda forma de expressão que agregue a metafísica, seja ela capitalista ou filantrópica tem muito que ver com o desespero do espírito humano e mortal, buscando reverter tal sentença cruel, que não poderia ser proferida por um ser inteligente e moralmente generoso.


Freud talvez se esquecera de tomar emprestado de Baruch Espinoza, uma ideia mais avançada, para delimitar aquilo que não se limita.

POEMA DO LIVRO OBRA POÉTICA, 440 POEMAS, PODE SER ACHADO NAS MELHORES LOJAS DO MUNDO…

Uma consideração sobre “O homem é fruto do meio?”

  1. mais o meio influencia demais, a maioria da população não entende o que se passa e replica o que se diz, isso se chama cultura de massa ou industria cultural, o poder que controla as mídias, as ferramentas que englobam as comunicações possuem esse poder e um dos maiores problemas da comunicação social é justamente esse( meios de comunicação de massa) eles possuem a ferramenta e a gente absorve o que nos entregam .Francis Bacon ensina que o homem não nasce sabendo, ele aprende o que se é dado a ele ou seja fruto do meio das coisas que nos vivemos, se a maioria diz que 1 + 1 = 3 todos acreditam, tudo questão de indução, pra entendermos melhor, quero que pensemos um pouco nisso em torno da filosofia do empirismo, se você se induz de maneira automatizada perante cultura de massa sem uma formulação ceticista própria você aceita o que lhe é dado sem ao menos desconfiar se você faz uma analise mais elaborada você certamente encontra inúmeras contradições e pontos que se convergem

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s