Planalto vai usar suspeitas de fraudes na PGR para atacar Janot e Joesley

Fotos: AFP
Joesley Batista, Temer, Rodrigo Janot

Assessores diretos do presidente Michel Temer já estão em contato direto com a China para comunicar o chefe sobre a bomba anunciada nesta segunda-feira, 4, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ele informou que foram encontradas gravações suspeitas entregues pelo grupo JBS que mostram sérias, “gravíssimas”, irregularidades na PGR e no Supremo Tribunal Federal.

O Planalto acredita que, com esses fatos novos, tentará desqualificar Joesley Batista como delator e inviabilizar a esperada segunda denúncia de Janot contra Temer. A ordem entre os assessores do presidente é levantar o máximo possível de informações sobre as descobertas da PGR, que comprometeria uma pessoa do STF, um parlamentar e um ex-procurador da República Marcello Miller, que trabalhou direto com Janot e, depois, se desligou para trabalhar em um escritório que preparou as delações da JBS.

As irregularidades foram descobertas a partir de um áudio com conversa entre dois delatores da JBS que chegou à PGR na quinta-feira. 31 de agosto. O procurador-geral, a gravação foi entregue, aparentemente por engano, nos anexos da delação dos controladores da JBS. Diante disso, Janot afirmou que a PGR abriu um investigação interna e pode rever a delação premiada de três — Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis e Silva — dos sete executivos do grupo comandado por Joesley e Wesley Batista. É essa anulação que Temer espera.

 

Euforia

 

Assessores e aliados políticos de Temes estão eufóricos. Da China, o presidente avisou aos mais próximos que, agora, está com todos os argumentos para conter “as flechas” de Janot. Ele acredita que o acusador ficou desmoralizado ao admitir indícios de irregularidades nas negociações para as delações da JBS. O presidente também acredita que poderá partir com tudo para cima de Joesley, que o chamou de “ladrão-geral da República”.

 

Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, advogado de Temer, já disse que pode recorrer à Justiça para pedir a anulação de todo o processo. Ele admite questionar todas as provas apresentadas pela JBS no Supremo. A estratégia contra Janot e Joesley será fechada assim que Temer desembarcar no Brasil, na quarta-feira, 6. Para integrantes do Planalto, Temer ficou mais forte. Agora, é partir para a guerra sem medo.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s