Janot discursa no STF, antes de denunciar Temer como chefe de quadrilha

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Procurador-geral da República fez seu último pronunciamento no STF poucos minutos depois de oferecer uma segunda denúncia contra o presidente Michel Temer

“Tenho sofrido nessa jornada — que não poucas vezes pareceu-me inglória — toda a sorte de ataques. Resigno a meu destino, porque mesmo antes de começar sabia exatamente que haveria um custo por enfrentar esse modelo político corrupto e produtor de corrupção, cimentado por anos de impunidade e de descaso. Mas tudo isso para mim já se encontra nos escombros do passado. Os mortos, então, deixai-os a seus próprios cuidados. As páginas da história hão, certamente, de contar, com isenção e verdade, o lado que cada um escolheu para travar sua batalha pessoal nesse processo”,

Ainda durante seu último discurso no STF, Janot afirmou ter militado “até o último instante” na defesa dos compromissos assumidos, exaltou o “instituto da colaboração premiada” e elogiou o Supremo, afirmando que “não poderia me furtar a testemunhar publicamente a retidão desta casa”. Para o procurador-geral, a Corte foi “firme e respeitou as leis da Constituição, mas não se acovardou” diante da Lava-Jato.

“O Ministério Público continuará a cumprir sua missão. Nós, do Judiciário, ficamos honrados com a instituição. Nós somos passageiros, mas a Justiça é permanente”, respondeu a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s