Raquel Dodge quer Gleisi julgada por sucessor de Moro em Curitiba

A deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o envio de inquérito no qual são investigados a ex-senadora, presidente do PT e atual deputada, Gleisi Hoffmann (PR), e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, para a 13ª Vara Federal de Curitiba. Em 2018, VEJA teve acesso ao relatório final do inquérito (leia a matéria completa).

O pedido foi direcionado ao ministro Edson Fachin, para que o processo seja enviado a Luiz Antonio Bonat, juiz titular da vaga que era de Sergio Moro. A denúncia por organização criminosa foi apresentada em 2017 e tramita no Supremo.

Apesar de ter foro privilegiado como deputada federal, Gleisi foi acusada por fatos ocorridos no período em que era senadora e, por isso, segundo a PGR, o caso não deve mais ficar no STF.

No ano passado, a corte restringiu o foro para casos ocorridos durante o mandato e por fatos ligados ao cargo —o que também retira do Supremo casos de mandatos cruzados, como o de Gleisi.

A denúncia contra ela no STF inclui Paulo Bernardo por causa da estreita ligação entre ambas as condutas no caso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s