PT pede à PGR prisão de Moro, e deputado do PSL quer detenção de Glenn

PT pede à PGR prisão de Moro, e deputado do PSL quer detenção de Glenn

12.jul.2019 - Protesto de apoiadores de Sergio Moro contra a presença do jornalista Glenn Greenwald na Flip, em Paraty (RJ) - Mathilde Missioneiro/Folhapress

12.jul.2019 – Protesto de apoiadores de Sergio Moro contra a presença do jornalista Glenn Greenwald na Flip, em Paraty (RJ)Imagem: Mathilde Missioneiro/Folhapress

O acirramento das disputas ganhou novos elementos após a Polícia Federal prender quatro suspeitos de invadir celulares de autoridades dos Três Poderes na terça-feira (23).

 

Governistas defendem a hipótese de que as as mensagens obtidas pelo suposto hackeamento são a fonte das reportagens divulgadas nas últimas semanas e que elas teriam se valido, portanto, de material obtido de maneira ilegal. Os petistas criticam a condução de Moro frente ao caso.

Dos dois lados, os documentos apresentados são notícias-crime – comunicação de fato criminoso às autoridades jurídicas, que não quer dizer, no entanto, que será aberto um processo.

Caberá à PGR apurar os elementos narrados e decidir se abre investigação.

PT fala que Moro acessou dados sigilosos

O ofício dos políticos do PT justificam que Moro teve acesso aos dados sigilosos da operação.

“Por estar à frente do Ministério da Justiça e não mais na cadeira de juiz, Sérgio Moro não possui qualquer ingerência sobre investigações da Polícia Federal, muito menos sobre os inquéritos presididos pelos Delegados da Polícia Federal. Moro agiu em flagrante abuso de autoridade”, afirma o documento dos petistas.

O pedido é assinado pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e pelos líderes do partido na Câmara, Paulo Pimenta, e no Senado, Humberto Costa.

Eles argumentam que o ministro ultrapassou os limites do cargo que ocupa.

Deputado do PSL fala que Glenn participou em crime cibernético

Já o deputado Filipe Barros (PSL-PR) quer que o jornalista Glenn Greenwald seja preso com base na Lei de Crimes Cibernéticos.

O deputado considera que Greenwald é “co-responsável pelo ataque” e que as revelações feitas pelo site que ele edita, The Intercept Brasil, foram “obtidas mediante crime”.

“As evidências decorrentes dos depoimentos e da confissão [do suspeito Walter Delgatti] à polícia, em conjunto com os demais indícios e provas já colhidas, tornam absolutamente plausível a tese de que Glenn Greenwald é COAUTOR do crime previsto”, escreveu o deputado citando o crime de invasão de dispositivo eletrônico.

Greenwald disse que recebeu as mensagens de fonte anônima e evoca a Constituição, que garante a jornalistas o sigilo da fonte de informação.

Ainda não se sabe se o The Intercept Brasil tem conhecimento da licitude do material.

Recentemente a PF descartou que esteja investigando o jornalista.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s